segunda-feira, 30 de novembro de 2015

E O POVO QUE NÃO SE LEVANTA...


Em meados de 2013, esta birosca vivia um momento de produção intensa e boa parte deste conteúdo era dedicada às manifestações populares que tomaram as ruas das principais capitais do país. Em meio à realização da Copa das Confederações, em que a seleção canarinho vinha se destacando em campo, a juventude parecia rejeitar a “boa e velha” política do "pão e circo", que em tempos de ditadura distraía milhões em ação.

Aquela energia contaminava a todos que só precisavam de um empurrão para exercer sua indignação com a situação de um país, que há muito tempo precisava mudar.

Milhares e milhares de pessoas juntas, cantando o hino nacional, enfrentando a truculência de policiais despreparados. Foi impossível, então, conter a empolgação. Mesmo para os desconfiados “Pensadores de Birosca”, que se deliciaram ao perceber o governo atônito, convocando reuniões de emergência, pronunciamentos em rede de Rádio e TV, tudo por conta da iniciativa popular.



Bem, este é o lado mais belo, o da propaganda de campanha. A outra face aos poucos mostrou que o movimento, que se exigia apartidário e sem líderes, carecia, justamente de liderança, talvez para direcionar objetivos pelos quais lutar. Depois, notou-se que os articuladores das grandes reuniões eram, na verdade, defensores do PT e da continuidade do governo, contra os quais fingiam lutar. E por último, baderneiros se infiltraram nas manifestações e, com atos de violência gratuita, devidamente fomentada por quem estava do outro lado, foram minando a participação da massa que, com medo de tragédias cada vez mais iminentes, voltaram para suas casas, ligaram suas TVs, e aos logo, tudo voltou ao “normal”.

Mas por que mesmo todas aquelas manifestações haviam começado? Ah sim, claro! Inicialmente, o povo foi às ruas contra o aumento das passagens de ônibus, que haviam ficado vinte ou trinta centavos mais caras.

E daí, que olhando pras manchetes que nos tem embrulhado o estomago, não dá para não fazer a próxima pergunta. Aliás,  a questão  será a chave para o desfecho destes meus devaneios, típicos dos Pensadores de Birosca:

“Quer dizer que trinta centavos foram suficientes para levar o povo à indignação, mas toda a bandalha que não para de aparecer dia a dia, não diz nada ao Gigante, outra vez sonado?”

Tal atitude, melhor condizente com a tradição mais recente da população brasileira, do que aquela de 2013, me trouxe à memória um episódio marcante da política brasileira, que para muitos significou o primeiro passo dado em direção à ditadura militar:

Em 1960, depois de muito perder para Getulio Vargas e seus herdeiros políticos, a UDN parecia finalmente chegar ao poder, graças ao exótico e carismático candidato à presidência Jânio Quadros, que prometia varrer, com sua vassourinha, a corrupção para fora do país. Pois é, naquele tempo tinha esse negócio de corrupção por aqui...


Menos de 01 (um) ano foi necessário para que o novo presidente minasse sua base de sustentação política. Uma série de atitudes controversas ameaçavam o novo governo.  Jânio acreditava ter o dom para o exercício do poder. Mas cria também que precisava de mais liberdade para governar. Pressionado e frustrado com a realidade, Jânio fez o que ninguém esperava. Renunciou. 

Muitas foram as especulações em torno das “forças ocultas”, que segundo o próprio termo de renúncia, haviam levado Jânio à abdicar. De acordo com a tese mais repetida em botecos, ele teria feito o que fez esperançoso de retornar, aclamado, nos braços do povo, única situação que poderia garantir a legitimidade para governar à maneira que desejava. Foi com base nesta hipótese, que surgiu o folclore da célebre frase, que Jânio teria pronunciado ao perceber que não haveria reação popular ao seu inesperado ato. Copo de uísque na mão, Jânio teria dito com sua peculiar e inconfundível entonação:

- E o povo que não se levanta!

O fato é que depois da proibição do biquíni, uma aparente aproximação com Cuba, condecoração de Ernesto Che Guevara e boatos sobre o frequente estado etílico de Jânio, o povo não se moveu.

Mas não é disso que se trata, mas sim que, para me referir ao caos de 2015 e diante da pergunta chave deste post, exposta um pouco acima, não me resta outra ideia, senão recorrer à famosa sentença de Janio:

- E o povo que não se levanta!!!



Leônidas Falcão 


sábado, 21 de novembro de 2015

TRÊS NOVOS PERSONAGENS DE OS PENSADORES DE BIROSCA

E não é que o "OS PENSADORES DE BIROSCA" tem mais três personagens?  São eles Eusébio Moça, "O Gay", Ricardo Pelintra, "O Pilantra", e Delfino Pateta, "O Imbecil".
Numa bela noite de sexta sentavam a uma mesa ao lado da de Herculano Ébrio, que discutia futebol com Platãozinho, e Defino Pateta soltou logo uma pérola:
- Eu acho que o Ronaldo Nazário foi melhor do que o Pelé.
- E você viu o Pelé jogar? - retorquiu Herculano.



- Não vi - justificou ele -mas se dizem, é porque é verdade.
Ricardo Pelintra,  malandrão que é, logo inteveio:
- Tomo o partido do meu amigo - virou-se para Herculano - Vamos decidir nós dois na porrinha.  Cara-a-cara nós dois. Aquele que perder, perde a discussão e paga toda a despesa.
Herculano concordou e perdeu todas.  Mas depois deu uma zurubumba dos diabos, porque Ricardo sabia esconder palitos entre os dedos, vindo sempre com a quantidade que lhe conviesse.  Quem evitou a briga foi a turma do deixa-disso.
- Odeio esse negócio de briga - comentou eusébio Moça - só seve pra sujar e desarrumar a roupa da gente. 
- E quando alguém te provoca?! - bradou Herculano, irritado.
- Ah, sapeco logo uma unhada na cara! - e continuou: - Depois é o uó! Ir à manicure e fazer as unhas de novo.
Delfino Pateta mudou logo o assunto:
- Vocês tão vendo a novela das nove?
Todo mundo torceu o nariz: ninguém gostava de novela; mas Delfino seguiu:
- Aquilo é verdade: o cara pode vir do nada e, tendo talento, chegar a proprietário de uma grande empresa.
Todos riram, mas como estava inspirado, Pateta disse logo outra asneira:
- As pessoas dizem que a mídia é mentirosa e tendenciosa, mas é mania de falar mal de tudo - e outra: - Acho que perseguem muito o ex-presidente Lula:  ele é um homem que fez muito  pelo país.  E tem mais: a "presidenta" Dilma, depois de vencer a crise, vai fazer do país uma potência econômica.
Foi quando Ricardo Pelintra resolveu vender-lhe um anel.
- É verdadeiro? - Delfino quis saber.
- Mas é claro!
Delfino não acreditou e foi com ele ao ourives no "shopping" defronte ao bar.  O ourives examinou a joia e afirmou que era verdadeira.  Ricardo colocou o anel no bolso e voltou com o outro para o bar.  Lá, Delfino pagou o preço pedido e foi pra casa todo feliz, olhando orgulhoso o dedo enfeitado do adereço.  Quando se distanciou, Herculano olhou sisudo para Ricardo e perguntou:
- Você tinha dois aneis no bolso, não é? Um falso e um verdadeiro.
Pelintra encolheu os ombros e disse fingindo constrangimento:
- Vou lamentar se por engano entreguei o errado a ele, mas não sei se você sabe que é a terceira vez que ele cai nessa esta semana.


Barão e Leônidas



domingo, 15 de novembro de 2015

O DEPUTADO E AS CONTAS NA TRANSILVÂNIA

O DEPUTADO E AS CONTAS NA TRANSILVÂNIA

- Mas, afinal de contas, o senhor possui ou não possui contas na Transilvânia?
- É claro que não possuo!  Minha única renda extra era venda de esterco de cavalo em lata  pro presidente daHungria.
- Como então o Ministério Público da Romênia enviou dados de contas, senhas, etc.. Inclusive disse que a senha era o nome de sua avó...
-Minha avó era uma santa,  não pode ser envolvida nessas intrigas.
- Mas voltemos ao foco, deputado: se o senhor não tem contas na  Transilvânia, como elas apareceram lá.
- Os romenos não gostam de mim!
- Mas não é possível! Há contas em nome de seus familiares.
- Mas não abrimos conta nenhuma.
- Então como o senhor explica?
- Amigo, foi presente de alguém.
- Mas isso é impossível, deputado!
- Amigo, você acredita em Deus?
- É claro que sim...
- Pois é, eu também!
- Mas o que isso tem a ver?
- O que eu quero dizer é que sou muito crédulo.
- Mas que relação tem uma coisa com a outra?
- Nós não estamos perto das festas de Natal?
- Sim, deputado, sem dúvida
-E eu disse que sou muito crédulo...
- Mas deputado, por Deus, o que tem a ver...?!
- Creio em Deus e Papai Noel.  Foi presente do bom velhinho.

Barão da Mata


sábado, 14 de novembro de 2015

DR. VÁUSIO DRALELA E A SCA (SÍNDROME DO CORNO ALEGRE)


Uma das doenças mais comuns na nossa sociedade é a SCA, a Sindrome do Corno Alegre.  Você pode ser contaminado numa roda de samba, num pagode ou mesmo num barzinho de música ao vivo.  Se você é daqueles homens que conhecem uma mulher e, sem a conhecerem direito, logo a levam a um desses locais e abandonam a mesa para dançar sozinho, ou ainda a deixam de frente para um garanhão, aí é que está o grande perigo: uma bobeada sua, e ele logo dá um jeito de passar a ela seu telefone.  A este evento sobrevêm sintomas como nascimento de pontas de queratina em sua testa, que logo depois vão-se desenvolvendo indefinidamente, sem deixar de gerar transtornos como dificuldades em encontrar a moça escolhida e mesmo de contatá-la pelo telefone ou whatsapp.  
O tratamento para esta doença é um tratamento radical de adeus à fulana ou simplesmente não mais procurá-la.  Mas o melhor remédio ainda é a prevenção.  Escolha uma mulher que lhe pareça honesta ou simplesmente fique sem mulher nenhuma.  
Esta é mais uma dica de saúde.  Saúde para todos vocês!

Barão da Mata

DR. ARNALDO CABEÇA, PSICOTERAPEUTA, E AS PERGUNTAS DOS LEITORES


D.POCIDÔNIA CORREIA: Meu marido não recebe bolsa-família nem favores do governo ou do PT, mas resiste intransigentemente à ideia de deixar de ser petista.  Continua petista roxo. Existe solução para ele?

DR.  ARNALDO CABEÇA: Pelo que a sra. relata, seu marido sofre de ptpatologia em último grau.  Para esses casos o tratamento é simples: introduza uma estrela de ferro, com todas as suas pontas,  dentro do brioco do seu consorte e deixe-a ficar lá por 13 anos, e então ele irá recuperar a consciência da realidade,  sentindo na carne (num lugar específico, para ser exato) o que sofre toda a nação sob os governos do partido.  Aí , sim, ele acordará para a vida real e se livrará dessa obsessão.  
A sra. só deve evitar que depois ele caia no colo do PSDB, porque aí ele poderá desenvolver a SEC (Síondrome do Emburrecimento Crônico).


D. ZULMA ZULU:  Meu marido é um louco. Muda de opinião e posição política a cada minuto.  O sr. acha isto grave? Há solução?

DR.  ARNALDO CABEÇA: Minha senhora, seu marido é absolutamente normal.  É só a senhora observar os políticos brasileiros, que mudam suas posturas e votos de acordo com as vantagens que lhes são oferecidas.  Seu marido segue apenas os rumos da política nacional.


DR.  ARNALDO CABEÇA:  Até a próxima, amigos!  E não se esqueçam: a libido é tudo!


Barão da Mata




domingo, 8 de novembro de 2015

ONDE HOJE É O TALENTO?

Gosto muito mesmo...! Mas sou antiquado... do tempo em que o talento era no cérebro.

Barão da Mata

HERCULANO ÉBRIO E O PÓS-SEGUNDO-ESTUPRO

Após saber que, mesmo depois de  tudo o que aconteceu e vem acontecendo, mais de 40% do eleitorado admitem votar no ex-presidente em 2018, só posso reafirmar  a minha tese: depois do segundo estupro, o sujeito sempre acaba gostando.   

sábado, 17 de outubro de 2015

DOS CASOS DE PTPATOLOGIAS PSÍQUICAS GRAVES----------- POR QUE NÃO FIZERAM MAIS PESQUISAS? SEMPRE BOM LEMBRAR.

Nunca mais pesquisas aqui pelo reino da Tupiniquínia.   Embora eu saiba que de nada adiantariam.  Porque a "rainha" decretou mesmo o seu não dia, mas "Tempo do Fico": " Se  é para o mal de todos e infelicidade geral da nação, diga ao povo que fico."   Cruzes!!   Há quem diga que todos pagamos pecados, quer pelo que cometemos nesta vida ou na encaranação ou encarnações passadas. Se é assim, nós, brasileiros, somos pecadores pra cacete.   E o mais curioso de tudo é que os seus meios de permanência foram os mais antidemocráticos possíveis.  Nosso "amadíssimo" Eduardo Cunha recusa todos os pedidos de "impeachment", o STF dá um despacho que dificulta a tramitação de um processo de impedimento, Renan Calheiros agora é fiel escudeiro de sua Majestade,  e "tudo fica como d'antes no quartel d'Abrantes".  É impressionante ver que a vontade de umas dez ou quinze pessoas se sobrepõe à de noventa e três por cento da população do país.  Isto é puro golpe político, antidemocracia irrefutável, prova cabal de que a sempre frágil democracia brasileira foi pro brejo de vez já a partir do dia em que o nosso "grande líder" (cada povo tupiniquim tem o grande líder que merece) Lula tomou posse na Presidência da República.   Na página do MOVIMENTO BRASIL LIVRE https://www.facebook.com/mblivre?fref=tsjá há avaliações de que seja  tarde para pensar em afastamento da mandatária e que muito provavelmente esta vai até o fim do mandato. 
Embora tenha tecido inúmeras considerações sobre o maldito "Fico", quero me ocupar mesmo é dos sete por cento que aprovam o governo Dilma.    Este grupo é formado por uma série de vertentes: a primeira, a meu ver, a predominante, é a dos militantes profissionais, gente que não trabalha e fica, logicamente em troca de benesses, os dias inteiros à disposição do PT, para defendê-lo com unhas e dentes.  Este ramo fica desempregado, perde a boa-vida se o partido sai do poder.  Esta gente se abriga nos movimentos sociais e sindicatos petistas.  Não estou aqui dizendo que são os sindicatos e movimentos sociais petistas ou todos os integrantes destes, mas que os inseridos neste caso  se integram aos sindicatos e movimentos sociais ligados ao PT.    Uma segunda fileira é muito diversificada: compreende pessoas não necessariamente atreladas a sindicatos e movimentos, mas que mantêm uma relação de troca de favores com o poder, como alguns pequenos empresários, políticos da fisiológica base aliada e pessoas a estes ligadas, alguns artistas, profissionais liberais e dirigentes de corporações cujos nomes não posso mencionar (por não estar a fim de ser réu em ação judicial) e que são motivo de vergonha de seus profissionais.   O terceiro grupo é o que precisa do partido no governo por conta dos assistencialismos baratos de Lula e Dilma, gente carente de recursos que precisa contentar-se com esmolas na ausência de políticas sociais verdadeiras.   Agora, a quarta e última de todas estas bandas... é a banda dos ptpatológicos, ou pessoas que sofrem de ptpsicose, petismopsicose, ptpatologia  ou petismopatologia mental crônica, que veem noticiários e acompanham os acontecimentos, sabem de tudo o que está ocorrendo, estão a par de todos os desmandos cometidos pelos governos petistas ao longo destes treze anos (que serão certamente dezesseis  no mínimo, segundo análise de muitos), acompanham atentamente todos os movimentos dos praticantes de corrupção que tinham ou têm qualquer forma de ligação com o partido, sabem tudo, tudo mesmo, mas são capazes de esmurrar mesas e sair na porrada em nome da legenda.   Estes sofrem de demência sectária grave intratável, são casos perdidos como os de torcedores e religiosos fanáticos que defendem seu clube ou  sua fé com uma intransigência cega e perigosa.  Nos casos patológicos a gente pode encontrar também os ptpatas, ou seja, psicopatas que, movidos  por interesses ou não,  estão  dispostos a matar no caso de o PT perder o poder. São  petistas que não admitem argumentações, questionamentos ou a própria realidade,  não conseguem imaginar ou admitir um mundo sem o governo do  PT aqui no Brasil. 

Barão da Mata                                               

sábado, 10 de outubro de 2015

FORA PT E PSDB JAMAIS!

Não consigo esconder o quanto abomino o PT, e isto dá a impressão de que sou simpatizante (ou seguidor) do PSDB, mas isto é um rotundo engano:   não consigo digerir a existência do partido chamado "tucano".  Detesto igualmente um e outro.  Além disto, se fui ingênuo (ou idiota) o bastante para nutrir em mim a utopia socialista, hoje, após não crer mais em esquerdas e ter plena consciência de que defendia uma quimera, não me tornei por isto um admirador do pensamento neoliberal de Roberto Campos, Delfim Neto, Fernando Hernique (Fernando Henrique, sim! - que tem rótulo de socialdemocrata e conteúdo de capitalista selvagem). Longe disto, muito longe disto!  Defendo que o inevitável capitalismo precisa ter sua fome de lucro incessante contida, porque, se vantagem financeira é saudável, esta pode tornar-se um flagelo quando dá corpo a uma distribuição de renda e de oprtunidades que estupram o princípio constitucional da dignidade da pessoa humana.  O liberalismo econômico precisa ser freado, porque rouba de muitos o que é direito de todos: emprego, educação, segurança, habitação, etc...  É preciso amoldar essa fome de capital doentia à necessidades das massas.
O PT não tem nenhuma ideologia  senão a permanência no poder indefinidamente, é tão falso socialista quanto o ex-presidente FH  e seus asseclas.  O que difere um de outro é que na gestão petista os casos de corrupção adquiriram uma feição metastática ou septicêmica,  na pessedebista, menos incidentes; mas corrupção é corrupção, não importa se em menor ou maior escala.  Além disto, se por um lado "MInha Casa, Minha Vida" não é política habitacional, mas assistencialismo chinfrim como o "Bolsa Família", esmola que não educa, não prepara, não dá a nenhum beneficiário perspectiva de futuro... Se os programas sociais do PT não são verdadeiros, o PSDB sempre teve a franqueza de mostrar-se uma agremiação, tal como as gestões de Lula e Dilma,voltada para os interesses do grande capital. 
Nas eleições de 2014 pensei em adotar uma terceria via: Marina Silva. Mas não entendi exatamente a que vinha a candidata, porque numa das respostas aos ataques de Dilma revidou dizendo que a petista devia cuidar de empreender a reforma trabalhista: fim do décimo terceiro salário, de férias remuneradas, de FGTS... ou o que entende então ela por reforma da CLT?  
Poderia ter votado em alguém no primeiro turno, mas adoto o voto útila etapa inicial.  votar de acordo com os meus princípios e minha consciência em um candidato sem chances é  a meu ver mero exercício de vaidade:  "Sabia que não vencia, mas votei em fulano, pra marcar minha posição!" Tô fora! Podem pensar o que quiserem.
O que mais me desalenta no momento é que estamos encurralados entre a cruz,  a espada , o facão e o fogo:  o Brasil precisa livrar-se urgentemente do PT, mas o "impeachment" daria posse ao Michel Temmer e ao fisiologismo sanguessuga do PMDB.  Se o TSE cassa a chapa encabeçada por Dilma, novas eleições irão gerar  grandes chances de ascender ao Planalto o Aécio e os seus neoliberais perversos.  Se Dilma cai após dois anos de governo, assume Eduardo Cunha, que tem hoje a probidade muito colocada em questão e também traria consigo os insaciáveis pemedebistas.  Não há para onde correr.  Vejo um Brasil sem saída.
A classe política foi-se deteriorando ao longo dos decênios.  Sempre houve corrupção, fisiologismo, mentiras e outros vícios, mas em meus quase 60 anos de existência nunca vi um cenário tão caótico e deplorável.  Quando digo "PSDB também não", coloco no mesmo  saco "tucano" o DEM,  que é seu irmão siamês, o PDT, o PTB, o PP e inúmeras outras siglas partidárias que não mencionei.  Nunca os políticos colocaram seus interesses pessoais acima dos do país como agora.  O quadro do Brasil é mesmo septicêmico, a nação é um corpo agonizando numa infecção generalizada.

Barão da Mata

domingo, 13 de setembro de 2015

A RAINHA E O MALDITO PERGAMINHO - - - - - - - - - - POR QUE NÃO HOUVE MAIS PESQUISAS SOBRE O GOVERNO DA RAINHA? NÃO FAZÊ-LAS FUNCIONA?

Num reino distante, localizado bem no fundo de uns confins sulamérico-lationafricanos,  a rainha acordou num domingo sobressaltada com os brados, vuvuzelas e tambores de uma incalculável multidão. Em vez de ir ver o que ocorria de uma das janelas dos seus aposentos, preferiu correr até os aposentos do seu primeiro-ministro-da-Justiça.  Bateu à porta.
- Quem é? - perguntou o assessor.
- Sou eu, Brás Seboso! Eu, a tua Rainha!
De pronto o ministro colocou umas calças sobre as ceroulas, vestiu um camisolão sobre o dorso,  amarrou uma gravata ao pescoço e abriu a porta:
- O que ocorre, Majestade?
- Eu que pergunto,  pô! Que balbúrdia é essa lá fora?
Brás Seboso coçou a cabeça, um tanto quanto embaraçado:
- Perdoai, Majestade, mas ao que tudo indica é uma manifestação contra Vosso Governo.
- Que absurdo! - a rainha, furibunda. - Trata de te arrumares e descer para falar em  meu nome e receber tão calorosa multidão.
Logo depois a rainha vai às acomodações do seu segundo-ministro-da-Justiça, Dinardo Zé Dembrowski:
- Quem bate? - este também indaga.
- Tua rainha, porra! Será que vou ter de dizer o mesmo pra todo mundo?! 
Compõe-se o segundo-ministro-da-Justiça, entreabre a porta:
- Em que vos posso servir, Magnífica?
- Que porra de barulho é esse lá fora?! Tirou a mim do meu nobre sono.
- Ora, Majestade - sorria amavelmente Zé Dembrowski - não vedes que é uma homenagem que vos faz esse tão agradecido e amantíssimo povo?  É vossa gente a vos aclamar!
- Também achei isso, meu ministro.  O Brás Seboso disse umas coisas que não me agradaram.  Se assim ele continuar, elevar-te-ei a primeiro-ministro-da-Justiça.  Por ora volta ao teu repouso e te refestela em tua alcova.  Se precisar de ti para alguma coisa, peço que meu terceiro-ministro-da-Justiça, o Bendigo Platô, fale contigo.
- Assim seja, Amada Rainha! - curvou-se o ministro. Fechou devagar a porta: - Com licença, Majestade...
Em vez de olhar pela janela, a rainha ligou a televisão, viu na TV OVO a jornalista Luciana Bobo babando pelos cantos da boca enquanto enquanto dizia:
- Os honrados cidadãos deste Reino, numa manifestação espontânea, saúda a Sua Rainha!  é a coisa mais linda de se ver!
Achando que aquela profissional de imprensa era bajuladora por demais, resolveu trocar de canal, e numa emissora um repórter dizia:
- É a maior manifestação contra a rainha que já se viu.
- Como????!!!!!!!! - ela deu um pulo da cadeira, rubra, furiosa!
Saiu de seus aposentos em passos barulhentos e vigorosos, encontrou o bobo da Corte, Guálber Peita, no caminho e deu-lhe em empurrão:
- Sai da frente, que tu só abres a boca pra dizer asneira!  Cadê meu arauto, o Vadinho Ilva?
- Acho que  atrasou-se, pois passou a noite exercendo suas funções de arauto, a propalar pelos quatro cantos do Reino:
- Tudo está bem  e a paz impera no Reino da Tupiniquínia...!
Bastou o bobo acabar de falar para o arauto entrar, apressado, olheiras profundas, ar cansado, aflito, e abraçar a rainha:
- Magnífica, dizei-me por Deus o que vos aflige!!  Não vos quero ver a consumir-vos...
- Porra, não me apertes assim, Vadinho!  Assim tu me esmigalhas!  Só quero saber de ti uma coisa: o povo lá fora me execra ou me saúda?!!!!
Vadinho sorriu por longos momento...
- Anda, desembucha! - ela o apressou.
O homem respondeu docemente:
- Claro, Maravilhosa, que vos saúda... que vos saúda, vos louva, vos exalta, vos festeja,  Nobre Rainha!
Foi quando surgiu  o ministro da Legislação, Orlan Baleiros, com um pergaminho nas mãos:
- Majestade,  perdoai-me, vos peço de todo o meu coração... - Ajoelha-se diante da mandatária: - mas trago aqui umas informações que indicam que Vossa Majestade só tem  a aprovação de cinco por cento  da população do país.
- O que????!!!!!!!! - a nobre quebrou tudo à volta - Com que então só tenho cinco por cento???!!!! Pois me chama o Vice-Rei agora!!!!!!!  Ele vai ter de dar um jeito nisso!
- Perdão, Sublime - interveio Guálber Peita, o bobo - mas o Vice-Rei Gílson Treme saiu de fininho antes de o dia amanhecer.
Bateu ela com os pés no chão:
- Droga, e agora?!!!  Droga, e agora?!!!
- Calma, Rainha - sugeriu o ministro Orlan Baleiros - chamai vosso Conselheiro e quase pai, o Grande e Augusto Gulla.
- Não precisa!!! - bradou Gulla enquanto vinha de um ponto distante do castelo.  Não precisa porque já me enconto aqui.
- E essa gente que te acompanha? Quem são? Que comitiva é essa? - perguntou a rainha.
- São jornalistas, mulher! Querem saber o que tu dizes dessa pesquisa e das manifestações.
Levou a mulher a mão à boca aberta, sem saber o que dizer, voltou-se para os jornalistas:
- Posso me reunir com os assessores antes de responder?
Ante a concordância dos repórteres, a rainha reuniu-se com seus assessores durante vinte e quatro horas e depois voltou:
- O que fazem aquelas pessoas lá fora? - indagou.
- São manifestantes querendo vossa saída.
A rainha colocou o dedo em riste, altiva:
- Conspiradores, vocês querem dizer.
- Mas, Majestade, são noventa e cinco por cento...
- Por isso mesmo! Pra vocês verem os riscos que corre a democracia em nosso país.  Noventa e cinco por cento da nossa população não estão satisfeitos com a democracia e com o aumento do nível de vida de toda a minha gente...
- Mas são noventa e cinco...
- Cala a boca, eu que falo! É que eu elevei tanto as condições do povo, que agora a elite, numericamente  majoritária por conta da minha política social, vem agora querer dar golpe por não suportar os pobres que ainda restaram e logo enriquecerão.  As elites não toleram a ideia de que muito brevemente os cinco por cento de pobres estarão ricos! Ricos graças a mim!
Gulla tinha uma voz tão ativa naquele reino, que às vezes as pessoas não sabiam se o mandatário era ele ou a rainha.  Aproveitou o homem para brandir os punhos (como sempre) e bradar (também como sempre): 
- É a ingratidão daqueles que enriqueceram através de nossas políticas sociais, que dos habitantes do Reino da Tupiniquínia fizeram uma sociedade abastada que agora não mais quer um governo popular!!!!  Isso não permitiremos!!!!
- De modo algum!!!! - entrincheirou-se o bobo da corte atrás de uma mesa - Estou disposto a empunhar meu estilingue!
Um profissional de imprensa ainda tentou ponderar:



- Mas, Majestade, as pesquisas...
- Pois então - levantou a voz a rainha - que não mais haja pesquisas!  Está decretado que a partir deste momento nenhuma pesquisa de opinião será mais realizada no Reino da Tupiniquínia.
- Mas...
- Nem mas nem meio mas!!!! Eu sou a Chefe dos Três Poderes e Suprema Rainha! E  decreto: nunca mais pesquisas neste Reino!!!
Daquele momento em diante não houve mais nenhuma pesquisa. E foi assim que a TV Ovo, a rainha, a nobreza e aquela maioria de cinco por cento da populaçãoo foram felizes para sempre.

Barão da Mata







sábado, 12 de setembro de 2015

O AMANTE TERRÍVEL!

Trecho da conversa de duas mulheres no saguão de um hotel cinco estrelas em Paris:
- Ah, o meu amor é tão safadinho!
- É?! Ele te dá muito prazer na cama?
- Não, é que ele ajudou a arrombar a Petrobrás.

Barão da Mata

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

FRASES E PENSAMENTOS DE FACEBOOK E OUTRAS REDES SOCIAIS


Nós, de "Os Pensadores de Birosca", cônscios da elevada sabedoria dos nossos pensadores das redes sociais, resolvemos seguir o seu caminho e tentar de algum modo copiar seu brilho natural.  Aliás, como apêndice, dizemos que  ainda não entendemos porque nossos amigos não gostam quando dizemos:  "Fulano, você é brilhante!Tem luz própria! É um verdadeiro vaga-lume!".  Mas vamos às máximas!


Se não consegues resolver as questões mais simples de tua vida... a culpa é da tua mãe, que pariu o imbecil que tu és!

Se a tristeza insiste em te acompanhar... sei lá o que tu podes fazer! Não sou sábio!

O tempo é como uma cantiga... por que eu não sei... Só quis falar bonito.

Nunca te sintas um verme.  Mas um inseto nocivo bem te podes sentir.

Se a noite te parece um inferno, coitado de você!

Sorria, mesmo que o seu sorriso seja triste, porque, mais triste que um sorriso triste, é a tristeza de não ter grana pra ir ao dentista.

Olha-te no espelho e vê a imagem de um grande homem: te enganares vai fazer bem ao teu ego.

O sol sempre nasce depois de uma noite de tempestade... mas é sempre mais seguro consultar a previsão do tempo.

Faze da alegria de outrem a tua alegria... sobretudo se fores um animador de festas bem pago.


Barão da Mata

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

domingo, 30 de agosto de 2015

O DOIDO

O homem de terno, tronco aprumado e postura elegante adentrou o trem do metrô na estação Carioca, viu que o vagão estava cheio, mas percebeu que um sujeito, refestadelado ,ocupava  dois lugares na longarina.  
Aproximou-se do outro e solcititou:
- Dê licença, por favor!
O outro o encarou com firmeza:
- Não dô licença, não!
- Como? - o de pé  se sentiu injuriado.
- É isso mesmo! Não dou licença, não?
- Quem o senhor pensa que é? - insistiu o de terno.
- Muito mais do que você imagina.
- O senhor sabe com quem está falando? - o de terno já se exasperava.
- E o senhor sabe com quem fala? - retorquiu o que estava escarrapachado.
- Não tenho a menor ideia.
- Pois é!  Então saiba que eu sou o Rei da Cocada Preta! A Cocada Preta! Isso mesmo! Sou Rei da Cocada Preta!
- Mas que absurdo!
- Absurdo nada! O Reino da Cocada Preta é o país mais próspero da América Latina!
- Ora, meu senhor - foi-se afastando o homem das elegantes vestes - o senhor é louco! Vou para longe de sua vista para evitar causar-lhe algum prejuízo. Não tem ideia de quanto mal eu lhe poderia causar.
Depois, já distante, ficou a murmurar consigo mesmo:
- Rei da Cocada Preta... Que absurdo!  Um homem com aspecto de pobre e tão mal trajado! Louco, só pode ser louco.  - pensou durante alguns segundos e voltou a sussurrar para si: - Vou enviar uma mensagem de "whatsapp" a Josephine contando o que acabei de decidir. Esse homem é só um pobre diabo e um louco, mas deu-me o pretexto de que precisava  para invadir o Reino da Cocada Preta, antes mesmo de me juntar ao meu exércio em Waterloo.

Barão da Mata

sábado, 29 de agosto de 2015

TÁ MESMO FEIA A COISA... E NÓS, PRECISANDO DE PROTEÇÃO URGENTE




Dilma, entregando unidades do "Minha Casa, Minha Vida"  no Ceará, disse que não admite retrocesso nem nos  "avanços sociais", nem no que se refere à "democracia".   Quando soube do discurso, senti logo um frio na espinha, porque, se você recorrer ao NOVO (OU MUITO VELHO) DICIONÁRIO DO PT,  verá:
RETROCESSO. s.masc. PT fora do poder
DEMOCRACIA s.fem. PT  no poder
Indo às expressões idiomáticas, descobrimos:
NÃO ADMITIR .  Não sair de jeito nenhum; botar a militância e os sem-terra nas ruas; dar golpe
AVANÇO SOCIAL.  Toda e qualquer obra ou falácia dos governos do PT
S.Excia. afirmou também que o país vai superar a crise... Se for no seu governo, só se a crise for existencial.  Trazei-nos os psicoterapeutas de plantão! Mais:  determinou que quem está contra o seu governo é a maioira que torce pelo pior.  Cacete! Revolucionou a matemática, mudou o valor dos número e fez os 93% que a rejeitamos ser minoria, além de nos transformar em antribrasileiros radicais.  Seríamos autodestrutivos, suicidas, autoincendiários? Trazei-nos camisas-de-força, urgente!!!!  
Para piorar, Lula fez discurso em MG, como sempre um discurso furioso, brandindo muito os punhos. Mais parecia que convocava exércitos para uma guerra sangrenta.  Não sei por que tenho me preocupado tanto com os discursos em que o Lula brande os punhos e mais parece convocar a militância e os sem-terra pr'uma guerra fratricida http://leonardosarmento.jusbrasil.com.br/artigos/169909745/discurso-de-lula-na-abi-assusta-o-exercito-vermelho-pronto-para-apunhalar-o-estado-democratico-de-direito  , se afinal são grupos tão pacíficos, não é..?   Venha-me socorrer , Dr. Freud!  Devo estar com a mesma paranoia do Chico Mendes quando cismou que iam assassiná-lo.  Será que me assusto quando ele fala "eles" por encontrar, recorrendo novamente ao dicionário dessa turma:
ELES. pron.pessoal.c.reto. 1-Todos e quaisquer brasileiros que não são petistas. 2-Infiéis.3-Desgraçados, infames, odiosos. 4-Alvos em caso de "impeachment" da Dilma ou embaraço judicial do Lula.
Não sei se o que mais me preocupou foi o tom ameaçador de sempre ou ele ter dito que, " se for necessário", vai-se  candidatar em 2018.  Minha Nossa Senhora dos Aflitos!!! Não se amofine, não, "querido"...  Não concorra, não, "prezado"... Descanse, fique em paz... pelo amor de Deus!!! É o nosso messias oferecendo o sangue por nós, brasileiros.  Cada povo tem o Messias que merece.  Puta que pariu!  Se o Lula é o nosso messias, nós tamos muito fodidos mesmo! Muito mais do que imaginamos!  Se ele é o salvador da Pátria, imgine o destruidor!
Onde está o Ministério Público, que não se pronunciou em nenhum dos momentos em que os petistas desferiram ameaças à população? Não viram nem ouviram os Exmos. Srs. Procuradores quando o Vagner Freitas disse que entrincheirar-se-ia e pegaria em armas  para defender o governo Dilma?  Não estão vendo as coisas que o ex-presidente e seus asseclas andam dizendo?  Não é possível que permaneçamos, durante toda esta  crise , sob as constantes ameaças petistas.  Ou seria acaso o Brasil um Estado de Direito só de faz-de-conta?  É preciso que se coloque essa gente no seu lugar.  Se porventura houver um processo de "impeachment" contra a presidente, não haverá nenhum golpe ou nada de antidemocrático nisto, porque está previsto na Constituição e será uma iniciativa das instituições democráticas com amplo respaldo da população, que no momento nada deseja tanto quanto o impedimento da mandatária. 


CONCEITO DE DEMOCRACIA: O poder emana do PT, dos políticos e autoridades que sustentam a Dilma e em nome deles é exercido. Eu disse alguma besteira? É possível, mas, se levarmos em conta que 93% da população não queremos a presidente no governo, se alguns analistas dizem que já há elementos para iniciar um processo de "impeachment", e o PGR, o STF e o Congresso não veem motivo para afastá-la, só posso chegar a uma conclusão: se o Brasil é um país democrático, eu sou o próprio Clístenes (pai da Democracia na Grécia Antiga).


Barão da Mata

domingo, 23 de agosto de 2015

DESMITIFICAÇÃO À FIGURA DE CHICO BUARQUE


As pessoas têm uma necessidade incontinente de aumentar as dimensões de fatos ocorridos em relação a pessoas de renome.  Exemplo disto são os mitos criados em torno de Chico Buarque de Hollanda, esse mesmo Chico Buarque que no passado compôs tantas músicas de protesto contra a ditadura miltar e hoje presta seu apoio a um governo e um partido rejeitados por  93 % da população nacional - apesar de todos os erros e desmandos cometidos neste últimos 12 anos, em que o PT esteve e está com o timão do país nas mãos.
Tenho o maior respeito pela pessoa e uma admiração simplesmente desmedida pelo  Chico Buarque compositor, escritor, teatrólogo,  poeta,  pela maestria e genialidade como aborda em seus trabalhos o cotidiano e o trivial, pela entonação poética que empresta a narrativas de fatos e situações mais corriqueiros, pela sua invejável capacidade de versejar, pela inacreditável diversidade de sua temática e abordagem de todos os temas existentes, sua criatividade e seu  talento em compor e cantar inúmeros ritmos (samba, ritmos nordestinos, operetas, valsa, samba- canção, tango entre outros), sua genialidade como criador, homem de letras e músico.   Por outro lado, contudo, sinto-me na obrigação de desfazer o mito que as gerações passadas criaram em torno de sua imagem.
O homem que dizem ter sido preso e exilado por enferentar a ditadura não é exatamente a figura que os criadores de heróis produziram.  Diz a lenda que, por protestar contra o regime militar, foi preso e exilado. A história não é bem assim, e ele próprio corrobora minha versão em entrevistas nos vários DVDs que gravou, sob a direção de Roberto de Oliveira e patrocínio de algumas empresas brasileiras.  A peça "Calabar" foi simplesmente proibida.  Sua criação foi muitas vezes prejudicada, vetada e tolhida pelos censores da ditadura.  Os riscos a que expôs a própria integridade física não são fictícios - embora não fosse comum colocar artistas famosos no rol de mortos e desaparecidos do regime.  Mas as circunstâncias que o colocam no período de 1967 e 1971 fora do Brasil são bem diversas das tão propaladas por aqui.
Numa das apresentaçõs de " Roda Viva", no Teatro Ruth Escobar, em São Paulo, o CCC (Comando de Caça aos Comunistas) invadiu a sala e espancou os atores, dentre os quais estavam Marília Pera, Marieta Severo, Antônio Pedro... talvez por algum equívoco, segundo próprio compositor.   No mesmo prédio, em outra sala de teatro, levavam uma peça em que um ator que fazia um militar simulava evacuar no próprio capacete.  No dia em que invadiram o prédio, esta peça de protesto não estava sendo apresentada, mas "Roda Viva", sim.  Dias depois Chico foi detido e interrogado por um coronel que afirmou que "Roda Viva" era uma peça política, ai que o artista retorquiu que tratava-se de uma história sobre os bastidores do mundo artístico. Quando o oficial falou da cena do soldado.  Não respondeu Chico para não comprometer o diretor, José Celso Martinez, achando que este modificara o enredo.  Entretanto reafirmou que a obra não tratava mais do que do lado pouco visível do mundo das artes.  Foi liberado no mesmo dia, sob o alerta de não se afastar da cidade sem a autorização do coronel.  Autorização esta pedida e obtida pouco tempo depois, para que o compositor fosse a Roma, de onde só voltou 3 ou 4 anos depois.
Não há aqui, como se vê, um caso como o de Geraldo Vandré, de Gilberto Gil e Caetano Veloso, todos exilados, tendo o primeiro perdido o emprego que tinha na extinta SUNAB por sua composição "Pra Não Dizer que Não Falei das Flores (Caminhando)" e passou por tantas agruras que voltou ao Brasil nos idos da abertura democrática de 1979 negando o sentido de sua canção.
Nada disto faz Chico Buarque menos genial do que é (o seu talento é impressionante, está acima das minhas condições de avaliá-lo).    Nem retira do seu histórico implacáveis e ostensivas  perseguições sofridas com o patrocínio da extinta Censura Federal como um todo e especificamente da famosa dona Solange, que vetava por vetar  todo e qualquer  trabalho em que Chico figurasse como autor.  Os reacionários tornavam a menção do seu nome um sacrilégio, e era-lhe difícl compor e gravar por aqui. Tanto que precisou adotar  pseudônimos para poder ter suas músicas liberadas, como por exemplo Julinho da Adelaide.  Nada também reduz a sua importância história dentro da MPB e dentro da própria história artístico-política nacional.  Da mesma forma como é inegável a sua coragem em protestar, porque aqui muitos morriam ou simplesmente desapareciam. Sua coragem está nas próprias composições, muito inteligentemente sutis ou de duplo sentido, sem uma alusão direta aos militares nem a contundência cristalina de Vandré em "Caminhando".  "Apesar de Você" é que é um trabalho bem mais arrojado  e mais incauto, composto também na fase mais aguda da ditadura.
Se Chico é um mito, isto se dá por sua coragem de sempre contrariar os desígnios dos militares, por sua já aludida coragem. Mas não é Pablo Neruda, que se deu à causa política numa atividade obstinada.  Não é Graciliano Ramos, enclausurado num cárcere de Getúlio Vargas (acontecimento que o levou a escrever as "Memórias do Cárcere").  Muito menos Thomas More, que escreveu a "Utopia", ilha fictícia onde as pessoas viviam em condições igualitárias e não havia propiriedade privada, e acabou decapitado poelo despótico Henrique VIII.  Permanece  respeitável, apesar de sua conduta política hoje - decorrente -  será? - de laços emocionais com a sigla petista, já que ele e sua falecida  mãe são fundadores do partido?  Se este é o motivo, aí Chico me decepciona, porque a gente pode crer e defender uma estrutura de qualquer espécie, mas, quando tal estrutura fica muito aquém das nossas expectativas, é perfeitamente cabível o rompimento, pois do contrário nos tornamos sectários irracionais, sob o risco de incidirmos até no fundamentalismo.
E mais: a postura de Chico Buarque o faz um homem totalmente antagônico àquele que por anos e anos combateu a repressão e os desmandos políticos no Brasil.  

Barão da Mata

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

domingo, 9 de agosto de 2015

A SOLUÇÃO PARA OS 71% DE DESAPROVAÇÃO DA DILMA

Nestes dias tensos de baixíssima popularidade que Dilma tem  vivido,  tudo vem sendo feito pra tentar reverter o quadro.   Primeiro chamaram o "milagreiro" João Santana.  O marqueteiro falou, falou, aconselhou, mas não fez subir a aprovação nem um pouco.  Não é à toa que digo que uma possível ditadura petista seria pior do que a militar, porque no tempo do regime o bruxo era o Golbery, tido por todos como gênio do mal, enquanto os pajés maligno  hoje são o citado publicitário de nossa "amada" presidente e o "grande" Lula.  Faz parte do declínio cultural que o país vem vivendo.
Mal-sucedido o mágico do partido, numa reunião com  assessores e aduladores, a sra. Roussef baixou a fronte, levou a mão à testa e  balançou a cabeça pros lados:
- Meu Deus, não sobe de jeito nenhum...
Foi quando o Vagner Freitas, presidente da CUT, que passava no momento e não ouvira direito, tentou dar a sua costumeira puxadinha de saco:
- Ah, Excelência, o Viagra é um excelente remédio...
A mulher virou-se pra ele no mesmo momento, os olhos fuzilantes:
- P####, Vagner, sai daqui!!! Quando não tiver o que falar, não diz m####! Tu sabe do que a gente tá falando?!!! E desde quando tu já viu mulher tomar Viagra?!!!!!
Tempos depois o Lula, o "alquimista", o "mestre dos magos",  entrou em campo, boquirroto, todo senhor de si, utilizando uma metáfora desportiva ligada à sua condição de corintiano:
- Efa pro Curingão é mole... ("efa" é "essa" na língua presa dele)
Não foi.  
- Cacete, Lula! Tu veio pra me ajudar ou pra ajudar a me derrubar?
Recorreu à Globo e às suas celebridades: Ana Maria Braga, Jô Soares... e aos artistas: Chico Buarque, Giblerto Gil, Marieta Severo,e o índice caiu pra 9%.
- Também esses artistas não servem pra p#### nenhuma. - teria comentado a chefe do Executivo num de seus inúmeros momentos de mau-humor.
Num dos encontros de bastidores no Plantalto com o pessoal da Globo, a Cristiana Lobo, puxa-saco de primeria fila, tê-la-ia chamado a um canto e sussurrado, o olhar consternado de compaixão:
- Dilma, minha querida, isso que você tá passando tá parecendo coisa feita.  Eu sofro só de ver teu sofrimento, minha amiga. Eu conheço um pai-de-santo daqui da periferia de Brasília que é tudo de bom, minha filha. Tira encosto, vodu, coisa feita em encruzilhada ou em cemitério, mau-olhado, quebrando, bicho-pé, caminho fechado, pentelho encravado... Ele é bom demais.
Entre rendida e incrédula, a gestora teria tentado argumentar:
- Mas Cristiana, você sabe que eu não creio em nada...
- Ah, amiga! Mas nessas horas a gente tem de recorrer a tudo!
A presidente pensou, pensou.., pensou, deu um estalo de decisão:
Convencida, Dilma teria procurado, em vez do místico indicado,  o Jair de Ogun, este,  jogado os búzios e sentenciado:
- Muito complicado o caso de V.Excia..  Tô vendo os caminhos todos fechados.  - e apontou para uma conchinha: - Por este búzio aqui, o problema é bloqueio mental grave da senhora.
Não contente, recorreu a mulher ao pai Toninho de Xangô, este incorporou uma entidade e deu a solução do problema:
- Hummmmm... Tá tudo ruim com zifia e com a terra grandada que zifia comanda.  Sucê vai fazer o seguinte: zidispacha um ramo de flores brancas com açúcar na encruziada, renunxia de xer mandadora dexa terra zigrandada e exa gente toda vai gostar muito e xer muito agradexida a sucê.
Dilma saiu de lá sem dizer palavra,  foi resmungando pelo caminho:
- Que pai-de-santo que nada! Droga!
Foi quando o Joaquim Levy disse com sua fala meio fricativa: 
- Nexes cajos não xe pode bobear, prejidenta. Xou evangélico e xugiro à senhora que procure um pastor.
Fragilizada e desorientada, a mulher foi logo em busca do "santo mestre" Edyr Macedo - tão acostumado a brigar com o Diabo -,  que juntou quatrocentos outros "santos" pastores e bradou:
- Não adianta, Satanás!!! Você não vai ficar fechando os caminhos dessa filha de Deus!!!!  Não adianta, Satanás!!!!  Eu te repreendo e determino: desencosta agora dessa filha!!!!!!! Em nome de Jesus!!!!!!!  em nome de Jesus!!!!!!!!!!
Sentindo-se aliviada, ainda assim a política, com o fito de reforçar o tratamento, procurou o não menos "santo" Valdemiro Fonseca, que fechou os olhos e vociferou com sua fala rústica:
- Ói, eu tô tendo agora uma revelação muito importante: o Senhor Jesus cochichou aqui no meu ouvido que essa senhora tá livre de todo  o mal da rejeição popular.  Graças a Deus!  Aleluia, Senhor!!!!  - e cobrava da assistência: - Aleluia, cambada, aleluia!!!!!!
E a turba repetia:
- Aleluia!!!!!!!
Ao chegar ao Alvorada,  S. Excia. , exaurida e despenteada, sentou-se a uma poltrona e ouviu na hora o telefone vermelho tocar.  Era o presidente de uma poderosíssima emissora de tevê (cujo nome - vejam só! - esqueci completamente):
- Sou eu, o... Tudo bem?
- Oi!!!!  Tudo bem, meu querido?!!!!!
- Lembra pra mim qual foi o teu último índice de aprovação.
- Puxa, foi humilhante... nove por cento.
- Vou encomendarr uma outra pesquisa e, dependendo da percentagem positiva, mando colocar o algarismo zero à direita, ou seja, se você tiver 9%, sobe pra 90.  Se tiver 10, subo pra 100.  Se houver uma caso mais complicado, como por exemplo 17%, mando inverter pra 71...
- Puxa, muito obrigado....!!!!!!
Uma pequena pausa, a presidente levanta uma dúvida:
- Mas e se a as pessoas não acreditarem, se a oposição encomendar outras pesquisas?
- Minha SEGUNDA medida vai ser tornar você âncora de todos os meus programas jornalísticos, e assim você vai poder formar opinião sobre você mesma e seu governo. A PRIMEIRA vai ser demitir o digitador por erro de digitação. 
Nos dias seguintes, em agradecimento e para assegurar o apoio  divino, Dilma passou a ser frequentadora assídua das missas do padres Marcelo Rossi e a cantar sempre em dueto com o padre Fábio de Melo.


Barão da Mata









sábado, 1 de agosto de 2015

SE DILMA NÃO SOFRER "IMPEACHMENT", PREPAREM-SE: VAI DAR GOLPE! VAMOS SER OUTRA VENEZUELA


                                




Sempre ouvi dizer (concordando plenamente) que o passado, quando esquecido, tende a se repetir.  As sociedades não podem viver sem memória histórica, ou seja: haver nascido após o fim de determinado processo político não desobriga nenhuma população de conhecê-lo, justamente para evitar que  este ressurja.
Nasci em 1958, tinha portanto 6 anos em 1964, mas a pesquisa me fez deduzir que o ensaio pré-golpista do governo Dilma, por assemelhar-se ao daqueles idos, é bastante sintomático.  
Ninguém pode dar um golpe sem respaldo de alguns setores, e os militares e o poder econômico fizeram maciças campanhas na mídia, respaldaram-se no Congresso, na Justiça e em líderes políticos de grande projeção, como Carlos Lacerda, governador do antigo Estado da Guanabara, atual Rio de Janeiro, Magalhães Pinto, governador de Minas, que conduziu tropas até o Rio.  Foi assim criada a grande atmosfera que permitiu a derrubada do então presidente João Goulart: os militares tinham o apoio da mídia, que formou a opinião da população, o da maioria dos congressistas, além do silêncio do Judiciário, que percebeu bem que uma batida de martelo tem bem menos força do que um tiro de canhão.  Foi  justamente um ano depois que nasceu a TV GLOBO. As Organizações só contavam antes com o jornal O GLOBO e a emissora de rádio do mesmo nome e suas afiliadas, entidades já antes alinhadas aos golpistas. A concessão foi um presentaço de Papai Noel dado pela regime.
Neste momento Dilma se respalda no STF, onde ostenta folgada e confortável maioria.  Conta com uma base aliada e um Congresso que, embora hoje rebeldes, são muito sensíveis a agrados e "mimos", como verbas, cargos e coisas  do gênero.   Sabendo disto, já tem ela trabalhado no sentido de conter as insatisfações dos políticos.  Não será difícil obter o apoio da maioria.  Assim, o PMDB (principalmente) pretende mantê-la onde está até o final do mandato, justamente pelas benesses que já recebe e ainda receberá.  Quanto à mídia, o Jô Soares, excelente garoto de recados dos Marinho, foi ao Palácio da Alvorada e deu um programa inteirinho à presidente e à sua defesa, com o fito de resgatar-lhe a aprovação, hoje em minguados 7%.  Depois a mandatária esteve no programa da Ana Maria Braga (Não vi. Será que fritou batatas?).   Não demora e vai estar no Faustão e ainda vai ser comentarista dos jogos de futebol da emissora.  Hoje, quando a Cristiana Lobo se refere a ela, só falta falar "coitadinha" e ainda age como porta-voz do Planalto.  A dúvida que a empresa da política nada versada deixa é: conseguirá com o amparo da Globo recuperar a simpatia popular?  Não sei, mas, se não, eu respondo com uma máxima irônica do falecido mestre Millôr Fernandes: "Opinião pública é aquela que se publica." Precisa mais? Não é necessário sustentação popular: Nicolás Maduro não tem e continua governando com poderes absolutos.
Vou até contar uma "pérola" sobre o ditador venezuelano.  Como este tem sido sempre alvo de protestos e manifestações, baixou uma resolucão que permite às suas forças armadas e polícias atirar em manifestantes para matar: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mundo/206122-venezuela-autoriza-atirar-contra-protesto.shtml .  http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/maduro-decide-mandar-bala-em-manifestantes-nossas-esquerdas-aplaudem/ .  Entendem agora onde fica a opinião pública?  Em outras palavras, as coisas podem acontecer, e a imprensa não publicar ou maquiar.  
O que não é difícil, se a Globo tentou fraudar as eleições estaduais no Rio de Janeiro em 1982, tentando colocar Moreira Franco no Palácio Guanabara e evitar a posse de Leonel Brizola.  A afinação global com as ditaduras sempre foi tão íntima, que uma vez, procurado por uma autoridade militar que queixava-se de o jornal O GLOBO ter comunistas, o imperador Roberto Marinho respondeu-lhe: "O senhor cuida dos seus comunistas, e eu cuido dos meus."
Dentro deste contexto, entretanto, os que respaldam Dilma não vislumbram ainda outros riscos: ela pode mais tarde fechar o Congresso, fazer valer a lei de regulação da mídia que prometeu em sua campanha de 2014, assim como Ernesto Geisel fechou o parlamento e impôs a Reforma do Judiciário.  Assim V. Excia. calaria as oposições, os veículos de comunicação e ainda de sobejo poderia  limitar em muito a liberdade de ação e movimento do Judiciário.
Há porém uma diferença dos dias de hoje em relação aos tempos da ditadura.  Naquele tempo o cérebro do regime era o Golbery do Couto e Silva, general de maldade, cultura, brilho e talento político inquestionável, conhecido nas esferas políticas como "o bruxo", pela sua capacidade de articulação e maquiavelismo; e os presidentes militares não cometiam erros políticos crassos que Dilma comete por ser absolutamente despreparada para o exercício da chamada  "arte"  da política.  E ainda pra piorar vamos ter por detrás da cena, no lugar do Golbery, o Lula?!  Acho que o regime de exceção que se desenha no horizonte  será muito pior do que o de 1964 a 1984.  Imagine um golbery analfabeto com a batuta na mão?
A possibilidade de golpe é, a meu ver, um plano B que o PT já tem na manga  há muito tempo, porque , ainda em 2013, uma vez conversei com um jornalista petista, e este, além me ter dado um banho de conhecimentos, pelo tom  autoritário com que falou, me fez sentir que o partido fica no poder para sempre, custe o que custar a quem quer que seja.

Barão da Mata